Primeira tareafa encerrada

CHEGOU!

3ª GINCANA CULTURAL EDP

XÔ DESPERDÍCIO!

Que tal produzir um vídeo bem legal para o Youtube,

ajudar seu bairro, sua cidade e além de tudo poder ganhar

um presentão para sua escola? Demais, não?

Fique ligado! As inscrições começam em 29 de Julho de 2019!

Caraguatatuba

Como alguns ingleses empreendedores colocaram Caraguatatuba no mapa

Em 1927 Caraguatatuba era uma vila dependente de São Sebastião. Com pouco mais de 2 mil habitantes, vivendo do mar e da lavoura, isolados de quase tudo, era como se estivessem ainda no século XIX.

 

Até que, sem mais nem menos, aportou na vilazinha um grupo de ingleses com o propósito de criar naquele lugar uma grande -- mais do que isso -- uma enorme fazenda que garantisse as bananas e os grapefruits* do café da manhã da Inglaterra.

 

Daquele dia em diante, estava inaugurado o século XX para a pequena Caraguá, que dobrou de tamanho em pouco mais de uma ano. Vieram engenheiros, médicos, professores, práticos de navegação, maquinistas, artesãos, técnicos, um mundão de gente da Inglaterra e de todo canto do Brasil. Na bagagem dos ingleses veio também o cinema, com documentários exibidos toda semana; o futebol (chegaram a organizar campeonatos com mais de 30 times!), e outros esportes como: cricket, polo, golfe e tênis. Uma revolução.

 

Mas nem tudo foi uma maravilha. No começo houve uma certa dificuldade para se manter a lei e a ordem. Era muita gente aventureira reunida. Havia muita confusão, brigas, armas. Mas logo a coisa entrou nos eixos, se ajeitou, e a produção deslanchou. Eram dois navios por semana, grandes, entupidos com as frutas perfeitas, colhidas e embaladas, certificadas com um selo onde se lia: “Tropigold”. O destino: Londres, de onde a mercadoria era distribuída para toda a Inglaterra. Dizem que o rei George V adorava nossas bananas e grapefruits e exigia sua presença nas mesas do café da manhã do castelo de Buckingham.

 

Para se ter uma idéia do tamanho do empreendimento, foi construída uma rede ferroviária com mais de 120 km de trilhos por onde circulavam vários trens de carga. Só essa linha férrea ocupava 90 maquinistas, foguistas e ajudantes.

 

A partir de 1940, com a Segunda Guerra Mundial, não havia como a Inglaterra comprar as maravilhosas frutas de Caraguá, e com isso a Fazenda dos Ingleses entrou num período de decadência que iria se arrastar até 1967, quando a grande inundação  enterrou boa parte das terras sob uma gigantesca camada de lama vinda da Serra do Mar.

 

Mesmo assim, hoje ninguém pode negar que a partir do dia que aqueles ingleses puseram o pé no porto, a história de Caraguatatuba mudou, para melhor.

 


* um tipo de laranja, um pouquinho amarga, mas que muita gente gosta.

Há uma discussão a respeito da origem do nome de Caraguatatuba. Alguns defendem que o nome vem de uma planta muito comum na região, parente do abacaxi, conhecida por caraguatá, gravatá, carauatá, cruatá e muitos outros nomes semelhantes.


Outros estudiosos acham que o nome vem de um jeitinho dado na frase tupi curaá guatatybo, que significa "enseada com altos e baixos". Assim, enquanto os pesquisadores discutem, podemos passar o tempo tomando um suco de gravatá gelado na linda enseada montanhosa de Caraguatatuba...
 

População total: 109.678

Área em  km2: 485,097

Densidade demográfica: 207,88 hab/km2

O grande destaque na economia de Caraguatatuba é o turismo e o que está ligado a ele: comércio e serviços. Pesca e agricultura são as outras atividades econômicas mais importantes.

História

 

No século XVII o Brasil continuava sendo “descoberto” por sertanistas que se enfiavam pelo interior do continente em busca de riquezas.

 

Mas havia a necessidade de se produzir alimento para esse povo todo. Para isso o Império Português distribuiu terras a um punhado de cidadãos que se comprometiam a plantar e criar animais. Essas terras eram conhecidas como sesmarias.

 

Pois foi de uma sesmaria doada pelo capitão-mor Gaspar Conqueiro a Miguel Gonçalves Borba e Domingos Jorge, na bacia do Rio Juqueriquerê, que nasceu um povoado ao redor da capela dedicada a Santo Antonio, mas sua história seria curta. Em 1693 a varíola, uma terrível doença, chegou na região e matou boa parte da população. Os sobreviventes, claro, fugiram para outras cidades.

 

Muitos anos depois, em 1770, com o retorno das pessoas e algum desenvolvimento, o pequeno povoado foi reconhecido como a Vila de Santo Antonio de Caraguatatuba. A emancipação política chegou em 20 de abril de 1857.

 

O desenvolvimento da vila seguiu bem lento até que em 1927 ingleses se estabeleceram na região para o cultivo e exportação de frutas. A Fazenda dos Ingleses trouxe muita gente e dinheiro para a região, mas infelizmente com a II Guerra Mundial os negócios diminuiram muito. Mesmo assim o impulso que a cidadezinha recebeu ajudou-a a chegar aos anos 60, quando firmou-se como centro turístico.

 

Hoje Caraguá, como é conhecida por muitos, tem bons hotéis, lojas e restaurantes para todos que querem aproveitar as maravilhas do litoral norte paulista.

 

Turismo

 

São mais de 20 praias, fora a parte histórica da cidade e a beleza escondida na Mata Atlântica e nas montanhas ao redor da cidade.

 

Parque Estadual da Serra do Mar

 

A Serra do Mar é a região com maior biodiversidade do mundo e uma grande parte dessa importante e rica vegetação pertence ao Núcleo Caraguatatuba do Parque Estadual da Serra do Mar. O Núcleo faz parte da rede de Unidades de Conservação, administrada pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente, por meio do Instituto Florestal.

 

Com o nome inicial de Reserva Florestal de Caraguatatuba, a área de preservação passou a se chamar Núcleo Caraguatatuba em agosto de 1977, quando o Litoral Norte do Estado de São Paulo ganhou sua primeira reserva protegida. Sua extensão abrange cerca de 88.000 hectares, incluindo os limites dos municípios de São Sebastião, Paraibuna, Salesópolis e Natividade da Serra.

 

Pedra do Jacaré e Pedra da Freira

 

A apenas 4 quilômetros do centro de Caraguatatuba, a Prainha tem águas limpas, calmas e rasas. São essas as características que a tornam ideal para crianças e idosos. Quiosques, bares e restaurantes garantem o conforto de visitantes e banhistas.

 

O local é urbanizado e tem como um de seus principais atrativos a Pedra do Jacaré, que oferece um ótimo local para observação do mar e da orla de Caraguá. O costão de pedras onde está localizada é indicado para a pescaria. Há um acesso para a Praia do Garcez, onde se encontra a Pedra da Freira, que conforme o ângulo de onde se observa parece com uma freira rezando. (extraído do site da Prefeitura de Caraguatatuba)

 

 

 

Creditos: Wikipedia

A Pedra do Jacaré é parada obrigatória para quem vai à Prainha.

 

Morro de Santo Antonio

 

Com 325 metros de altura, o morro oferece uma vista privilegiada de toda a enseada de Caraguatatuba e São Sebastião, além de boa parte de Ilhabela. Há uma plataforma de voo para quem salta de asa delta e parapente e é um dos locais mais apreciados por quem pratica voo livre.

 

O acesso ao local é monitorado em um posto de fiscalização que fica no início da subida. A quantidade de carros é restrita: apenas 18 veículos podem subir de cada vez e a permanência é de apenas 15 minutos. Por isso, muitos visitantes preferem deixar o automóvel e subir a pé. A caminhada deve ser feita sempre em grupos.

 

O visitante que deseja conferir o ponto turístico deve seguir pela rodovia Rio-Santos no sentido Ubatuba até o Fórum de Caraguatatuba. O acesso ao Morro Santo Antônio é feito pela Estrada da Serraria, bairro Sumaré. A via é uma estrada de terra que qualquer tipo de veículo pode subir. No entanto, não é aconselhável tentar subir em épocas de chuvas. (extraído do site da Prefeitura de Caraguatatuba)

 

 

 

Creditos: Prefeitura de Caraguatatuba.

O visual do Morro de Santo Antonio é de tirar o fôlego.

Comentários

Estamos aguardando seus comentários. Participe! É super fácil.

Deixe seu comentário:

Nome:
Idade:
E-mail:
Escola:
Mensagem:
EDP Bandeirante participa do Aniversário de Pindamonhangaba LEIA MAIS
Unidade Móvel da EDP participa da SIPATMA 2013 na Panasonic LEIA MAIS
Unidade Móvel de Ensino chega à Pindamonhangaba LEIA MAIS
EDP Bandeirante participa de evento em São José dos Campos LEIA MAIS
EDP Bandeirante conclui Cursos de Capacitação em Guarulhos LEIA MAIS
Projeto “Boa Energia nas Escolas” em Caçapava e Pindamonhangaba LEIA MAIS